Hotel Nicanor











Sem a menor intenção de torná-la regular, inauguro a seção onde escrevo sobre os trabalhos de outrem. Trabalhos que curto ou já curti, realizados por colegas que admiro e respeito bastante...

O “Hotel do Terror”, com argumento e arte de Flavio Colin e diálogos e edição do Ota, é pra mim, um dos melhores trabalhos em quadrinhos já realizados no Brasil. Falo do número 1 de uma série que teria originalmente 3 edições, mas infelizmente a número 2 e 3 nunca foram lançadas. Não obstante, este número se sustenta sem a necessidade da continuidade para o entendimento e entretenimento do leitor. Dá pra ler numa boa só a primeira revista. O que fica é o gostinho de quero mais... Imagina, ler mais duas revistas da série com a mesma qualidade(pausa para enxugar a baba).

A história é uma reciclagem das desventuras:“ Os Estranhos hóspedes do Hotel Nicanor”, do Colin e do Juka Galvão, publicadas originalmente na extinta revista “Spektro” da editora Vecci, que se não me engano, também era editada pelo Ota.

A história tem o “balance” perfeito entre roteiro, diálogos e arte. Todos estão carecas de saber que o Flavo Colin era um dos melhores contadores de estórias do mundo, como se já não fosse suficiente ter um dos estilos de desenho e composição mais carismáticos e precisos que conheço. E nesta revista com o Ota, este inspiradíssimo nos diálogos, eles eram uma dupla mais do que dinâmica... Antológica!

“Nana, quem foi o presidente antes do meu pai?”

“Ah! Isso foi há muito tempo... era seu avô.”

“E o que aconteceu com ele?”

“Seu pai devorou ele.”

“Nana, um dia vou poder me candidatar a presidente e devorar o meu pai?”

“Claro que sim, Junior.”

Mítico, não? Na mesma história você tinha suspense, terror e humor em doses precisas e com passagens de tempo perfeitas. Por estas e várias outras razões eu recomendo “Hotel do Terror” do Ota e do Flavio Colin para quem conseguir achar, é claro!